Setembro <<   >>
1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30
   
 
 
Velhas Virgens e Crônicas      -
  O que é bom, repete

O interessante de colher as versões das histórias com as Velhas Virgens é que quase sempre todos estavam bêbados, mas alguém sempre lembra de uma parte capaz de dar seqüência à versão do outro.

“Naquela noite que o Lips caiu da bateria no Grafiteria, ele segurava o címbalo enquanto começava Blues a Perigo. Quando a música estava bem no meio, na maior paulada, eu estava de frente para o público, de costas para a bateria. De repente ele começa a fazer uma virada e pára de tocar. As guitarras e o baixo continuam e só a bateria pára. Quando me viro para ver o que aconteceu, vejo as perninhas do Lips e os pratos ainda balançando. Foi cômico”, diverte-se Caio.

“Ele vomitou muito naquela noite, assim como na noite do meu segundo show com a banda. O primeiro foi em um bar em Guarulhos que os Mamonas Assassinas abriram para a gente. Na época, eles ainda chamavam Utopia. O segundo foi no Victoria Pub. O Lips tomou todas, para variar, só que passou mal no meio do show e vomitou tudo em cima da bateria”, recorda o guitarrista.

Segundo o dito popular, o que é bom, repete. Histórias como essas não poderiam ser únicas – pelo menos não em uma banda com duas décadas de estrada. “Fomos tocar no aniversário de algum político que não lembro o nome no Blen-Blen. Além do nosso show, teria Marcelo Nova, Magazine e vários convidados. Os organizadores do evento resolveram então racionar a bebida. Eram duas cervejas por músico. Para a gente, isso não enche nem o vão dos dentes”, explica Lips.

Indignado, o baterista saiu do Blen-Blen e embrenhou-se em um boteco na frente do local do show. Tomou tudo a que tinha direito: cerveja, steinhäger, fogo paulista, catuaba, rabo de galo, cachaça etc. A mistura infinita certamente acabaria em tragédia. “Perdi a noção. Os caras foram me buscar no bar. Tínhamos que tocar quatro músicas, mas não consegui nem começar a primeira direito. Eu tocava uma música e o resto da banda, outra.”

O tombo do Grafiteria aconteceu em 1995; o porre do Blen-Blen, em 2002. O primeiro, todos acharam engraçado. O segundo irritou principalmente Paulão. Talvez ele esperasse um outro comportamento de seu companheiro de banda e copo depois de tantos anos. Mas Lips defende-se com um argumento convincente: “Todo mundo na banda já aprontou algo assim. O Paulão, por exemplo, desabou do palco numa vez em que tocamos com os Raimundos. Primeira e última, por sinal. Quem segurou aquele show fui eu, que puxei o microfone e cantei as músicas enquanto o Paulão estava lá, imprestável, mas isso mora no passado. Pode acontecer com qualquer um, principalmente com a gente.”

Quando o assunto é queimar o filme, Lips é enfático. “Nunca nos preocupamos com isso. Pode ser que as loucuras que fizemos tenham nos queimado. Pode ser que não. Sinceramente, não sei dizer. Mas a gente particularmente não se importa muito”, garante.

“Quer sabotagem maior que aquela do show de lançamento do nosso segundo disco, no Olympia? Diante disso, tomar umas a mais não é nada muito grave. De vez em quando acontece”, diz o inconteste melhor copo da banda em uma demonstração de modéstia.

“Nós éramos muito loucos até o segundo CD. Bebíamos demais”, acredita Lips. “Do terceiro para a frente, as coisas se assentaram e nós passamos a correr atrás de tudo. Além disso, é sempre bom cuidar um pouco da saúde e conter os excessos quando a idade vai chegando”, prega ele sem muita convicção.

“A coisa ficou mais profissional. Acho que as histórias malucas que acontecem com a gente vão diminuindo à medida que nos tornamos mais profissionais. Torço apenas para que esse profissionalismo não acabe com a magia da banda”, reflete Lips.



 
 

voltar


home | contato | mural | enquete | velhas | histórias | fotos | agenda | músicas | notícias | jukebox | vídeos | arquivos | independência | hq | contratante | imprensa | rádio velhas | login
contato para shows: Fernando Banas: banas@velhasvirgens.com.br |  Fone +55 11 2991-5084 - +55 11 99914-1975 - +55 11 7817-7735 id:55*7*69606

contato de assessoria de imprensa: Lilian Tormin: lilian.tormin@gmail.com - Fone: +55 (11) 9 5475 5338 (Tim) - +55 11 2978 8513 (fixo)


copyright © 2010 - Velhas Virgens - todos os direitos reservados - produzido por o2ew.com.br.